Diretores do Butantan e da Anvisa debatem Coronavac nesta sexta no Congresso

Os diretores do Instituto Butantan, Dimas Covas, e da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, confirmaram presença em audiência pública da Comissão Mista sobre covid-19 marcada para esta sexta-feira (13). No início da semana, a agência reguladora suspendeu os testes da vacina CoronaVac, devido a uma notificação de um efeito adverso grave inesperado.

>Exclusivo: em período eleitoral, produtividade dos deputados cai 67%

A vacina é produzida em parceria entre o Instituto Butantan, do governo de São Paulo, e o laboratório chinês Sinovac. Na quarta-feira (11), a suspensão das pesquisas foi revertida pela Anvisa e os testes foram retomados.

A CoronaVac, chamada pelo presidente Jair Bolsonaro de "vacina chinesa do Doria", tem sido utilizada pelo presidente para atacar o governador paulista, João Doria, um de seus desafetos políticos. Na terça-feira (10), dia seguinte à suspensão dos teste da vacina, o presidente comemorou a decisão nas redes sociais. O que gerou polêmica e dúvidas quanto a possíveis interferências políticas na decisão da Anvisa.

A reunião solicitada pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO), presidente da comissão, tem o objetivo de esclarecer os fatos e ouvir os argumentos do laboratório e da Anvisa. O Butantan considerou "injusta" a decisão da agência reguladora, tendo em vista que o efeito adverso grave relatado não tinha qualquer relação com o imunizante testado.

Já a Anvisa afirma que tomou uma decisão técnica orientada por protocolos de segurança que determinam a suspensão em caso de notificação de um "efeito adverso grave inesperado" e exige o aval de um comitê internacional sobre a continuação ou não dos estudos.

>TSE adia eleição de Macapá, que deverá acontecer ainda em 2020

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!