Vídeo: deputado dá cabeçada em colega e deve ser levado ao Conselho de Ética

O deputado Expedito Netto (PSD-RO) informou nesta quinta-feira (30) que prepara uma representação por quebra de decoro contra o colega Julian Lemos (PSL-PB) por agressão física. Nessa quarta-feira (29), Expedito interveio em favor do também deputado Edmilson (Psol-PA) na tentativa de encerrar uma discussão entre o parlamentar do Psol e o do PSL. Julian empurrou com a cabeça o parlamentar de Rondônia. No vídeo da transmissão da sessão da Câmara é possível ver o momento da agressão:

Edmilson reclamava da condução da sessão que estava sendo presidida pela deputada Geovania de Sá (PSDB-SC), comportamento considerado comum durante as reuniões, principalmente no momento em que os parlamentares tentam reivindicar espaço para discursar. Expedito Netto resolveu intervir após Edmilson ser empurrado. Alguns deputados que acompanharam a fato recomendaram que fosse feita a representação ao Conselho de Ética. O documento deve ser protocolado na próxima semana.

Em nota enviada ao Congresso em Foco, Julian Lemos nega a agressão física e afirma que nas imagens "não se percebe nenhum movimento brusco" de sua parte. Segundo ele, a situação ocorreu em meio a agressões verbais contra a deputada Geovânia de Sá (PSDB-SC), que presidia a sessão. Julian diz que Expedito se dirigiu à Mesa "transtornado" para "continuar suas ofensas" à parlamentar e esbarrou nele. E encerra: "Por fim, este episódio deixa claro, que para aqueles que estão contra o progresso do país, vale tudo, até mesmo diminuir uma parlamentar por ser mulher​".

O deputado está em seu primeiro mandato na Câmara e integra as comissões de Segurança Pública e de Direito Humanos e Minorias.

Apresentado ano passado pelo então candidato Jair Bolsonaro como seu “homem forte na Paraíba e “amigo de primeira hora”, o deputado foi um dos coordenadores da campanha presidencial do PSL no Nordeste. Ele também integrou a equipe de transição do governo. Como mostrou o Congresso em Foco à época, Julian já foi acusado três vezes e preso com base na Lei Maria da Penha, após denúncia de agressão à ex-esposa e a uma irmã.

 

Veja na íntegra a nota enviada pelo deputado Julian Lemos ao Congresso em Foco:

Na noite desta quarta feira (29) durante uma acalorada sessão plenária que votava destaques de importantes medidas provisórias para o futuro da nação, membros da oposição ao Governo e ele (Deputado Expedito Netto) vinham agredindo verbalmente a Deputada Geovânia de Sá que presidia a sessão. As ofensas chegaram a tal ponto, que até mesmo as deputadas da oposição ao Governo saíram em defesa de Geovânia por entender que ali se tratava de agressões que queriam desmerecer a Presidente por ser mulher.

Ao ser repreendido de maneira pública pela Presidente da Mesa, ele se dirige transtornado (como se vê no vídeo) à mesa para continuar suas ofensas e acaba por esbarrar no Deputado Julian Lemos - PSL/PB. Neste momento, Julian Lemos é escolhido para ser alvo de suas ofensas que não devem ser transcritas aqui, por respeito às famílias e ao decoro parlamentar. Julian Lemos se aproxima de Netto e de maneira dura e séria exige respeito a ele e a presidente. As imagens não deixam sombra de dúvida da inexistência de agressão física, pois não se percebe naquele momento nenhum movimento brusco por parte de Julian Lemos.

Por fim, este episódio deixa claro, que para aqueles que estão contra o progresso do país, vale tudo, até mesmo diminuir uma parlamentar por ser mulher.​​

 

>>Integrante da equipe de transição já foi condenado por estelionato, preso e alvo três vezes da Lei Maria da Penha 

>>Filho de Bolsonaro é “menino que ficou chateadinho”, diz deputado eleito do PSL

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!