Como deputadas reagiram à provocação machista de Eduardo Bolsonaro

Deputadas federais reagiram com indignação a uma manifestação misógina do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), chamando parlamentares na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara de "Gaiola das Loucas".

A mensagem, de cunho machista, foi feita pelo filho zero-três de Bolsonaro na quinta-feira (9), repercutindo um discurso do deputado Delegado Eder Mauro (PSD-PA), que pede um remédio para que contenha uma suposta histeria da deputada Maria do Rosário (PT-RS). O filho do presidente então escreveu "Parece, mas não é a gaiola das loucas, são só as pessoas portadoras de vagina na CCJ sendo levadas a loucuras [sic] pelas verdades ditas pelo deputado Eder Mauro."

A manifestação de Eduardo no Twitter foi imediatamente repudiada por parlamentares na casa. Citada no entrevero com Eder Mauro, Maria do Rosário acusou o parlamentar de "não estar portando o cérebro" ao escrever:

A deputada Vivi Reis (PSOL-PA) também repudiou a fala do deputado paulista:

A manifestação de Eduardo irritou mesmo companheiras de partido. A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que há muito cultiva um desafeto com o parlamentar, anunciou que entrará com uma representação no Conselho de Ética por conta de sua manifestação.

A proposta de representação pela fala machista encontrou apoio em mais parlamentares, como Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Tabata Amaral (PDT-SP):


> Veja os deputados que absolveram Eduardo Bolsonaro em ameaça de novo AI-5
> Com cargo em perigo, Filipe Martins tem namorada em cargo de confiança

Continuar lendo