DEM pretende afastar Chico Rodrigues se senador não pedir licença da sigla

A cúpula nacional do DEM tenta um acordo para que o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) seja afastado do partido. O Congresso em Foco ouviu de um integrante do alto escalão da legenda que a atuação partidária do senador será dificultada caso ele não peça suspensão do DEM.

"No começo ele estava bastante na defensiva, querendo argumentar as coisas, se defender, mas ele está vendo que nós vamos deixá-lo em uma situação difícil se ele não for por aí", declarou a fonte.

"Uma coisa provisória, não configura como expulsão, ele com isso ganha tempo para se defender. Se busca essa saída consensual para que ele peça uma licença do partido."

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

O senador foi flagrado na quarta-feira (14) com dinheiro nas nádegas durante a Operação Desvid-19, que apura desvios de recursos da saúde em Roraima. Na quinta-feira (15) ele foi destituído da vice-liderança do governo. O ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o afastamento do congressista por 90 dias. A decisão ainda precisa ser confirmada pelo Senado Federal.
O DEM também solicitou ao STF (íntegra) que as informações sobre o inquérito que investiga o senador sejam compartilhadas. "O ato tem como objetivo analisar eventual desrespeito aos princípios éticos do Democratas, previstos estatutariamente, pelo senador Chico Rodrigues (RR)", escreveu a legenda por meio de nota.

O partido tenta construir uma saída para que não seja prolongada a crise causada pela operação da PF envolvendo o senador. Há a opção de ser aberto um processo de expulsão,  mas isso levaria tempo e precisaria obedecer trâmites do estatuto da sigla.

"A gente tem um estatuto que precisa ser seguido, não poderia fazer por exemplo a expulsão sumária de um senador", disse o político do DEM ouvido pelo site. Apesar da resistência inicial do senador, a direção da legenda crê que ele vai aceitar o acordo e pedir o afastamento do partido.

>Senador encontrado com dinheiro nas nádegas é um dos mais fiéis a Bolsonaro

>PF encontra dinheiro na cueca de vice-líder do governo no Senado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!