Prorrogação da CPI será avaliada somente em agosto

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse nesta terça-feira (29) que irá analisar o pedido de prorrogação da CPI da Covid "ao final do prazo de 90 dias da Comissão Parlamentar de Inquérito". Com isso, Pacheco indica que só tratará do tema após o dia sete de agosto, data final prevista para encerrar o funcionamento da comissão parlamentar.

Os integrantes do colegiado queriam assegurar desde já a extensão dos trabalhos. O senador Omar Aziz (PSD-AM) já indicou que o pedido de prorrogação deve contar com a assinatura de pelo menos 40 senadores, número superior às 27 necessárias.

A prorrogação, assim como a abertura da comissão, depende de leitura e aval publicizados  em Plenário pelo presidente do Senado. Pacheco garantiu que a análise vai acontecer. "Por certo, será feita nessa ocasião, analisando as condições objetivas e subjetivas para tanto. Mas fica registrada a questão de ordem de vossa excelência, que é recolhida pela Presidência para apreciação oportuna".

A fala do presidente da Casa ocorreu durante a sessão plenária desta terça (29) em resposta ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Vice-presidente da comissão, Randolfe foi o autor do requerimento que originou a CPI e apresentou, agora, um requerimento pedindo a prorrogação dela.

Diante de resistências do presidente em validar a comissão, Randolfe chegou ingressar no Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir que Pacheco lesse o requerimento de instalação. Em  março o presidente da Casa o fez, obrigado por uma decisão do ministro do Supreo Luís Roberto Barroso.

PGR

CPI já motivou o envio de uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro, por prevaricação, nesta segunda-feira (28). Também nesta terça, a PGR respondeu ser oportuno que o Ministério Público aguarde a conclusão das apurações pela CPI, em vez de instaurar uma investigação concorrente sobre os mesmos fatos envolvendo a vacina Covaxin.


> Cédulas e Balas: A medocracia miliciana
> Fechado para ir a Plenário, validade do PL 490 esbarra em decisão STF

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo