Omar Aziz chama Eduardo Girão de “oportunista pequeno” em CPI

Em sessão tumultuada na manhã desta quarta-feira (26), senadores membros da CPI da Covid discutiram sobre a votação de requerimentos para novas convocações ao colegiado. Após o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), interromper a sessão para uma reunião "secreta", parlamentares decidiram não votar requerimento de convocação de prefeitos. A decisão gerou desentendimento entre Aziz e o senador Eduardo Girão (Podemos-CE).

Assista:

Ao ser cobrado por Girão sobre convocar gestores dos executivos municipais, o senador cearense ouviu de Omar Aziz que era um "oportunista pequeno". "Estava lá, escutou o que nós acordamos", disse, fazendo referência à reunião.

"Desde o primeiro momento toda a sociedade brasileira que tem inteligência sabe que vossa excelência está aqui com um único objetivo: é que a gente não investigue por que a gente não comprou vacina. E vossa excelência, que não entende patavina de saúde, quer impor a cloroquina na cabeça da população", continuou o presidente da Comissão.

Girão se defendeu dizendo que não havia feito acordo com a presidência da CPI. Outros senadores da base governista também disseram não concordar com o acordo mencionado por Aziz. Apesar de Girão ressaltar que não é da base governista, ele defende pautas do governo na Comissão, como o uso da cloroquina, medicamento sem comprovação científica de eficácia contra a covid.

Na sessão de hoje, foram aprovados requerimentos para convocar governadores, ex-integrantes do Ministério da Saúde, pessoas mencionadas por fazerem parte do "gabinete paralelo" - que ajudava o presidente Jair Bolsonaro a tomar decisões no início da gestão da pandemia, e a reconvocação do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga, também devera voltar às CPI.

>Veja quem são os governadores e demais convocados pela CPI da Covid 

>Randolfe apresenta requerimento para convocar Bolsonaro à CPI da Covid

 

Continuar lendo