Corrente majoritária do PT acha que não é hora para impeachment

Apesar da pressão de parte da base petista para que o partido peça o impeachment do presidente Bolsonaro, a tendência é que a resolução do PT amanhã (9) seja de que o momento não é apropriado.  A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), está convocando os dirigentes do partido e a militância para reunião do Diretório Nacional, nesta quinta-feira, às 9h30.

Os governadores petistas e alguns prefeitos vão participar, apresentando as medidas adotadas em seus governos para enfrentar a pandemia do covid-19.

> Deputado inclui novos fatos na notícia-crime contra Bolsonaro

SUS

“Também estaremos com nossos ex-ministros da Saúde, que apresentarão o quadro da pandemia, as ações no SUS [Sistema Único de Saúde] e as perspectivas sobre infecções”, diz Gleisi na convocação.

Os ex-ministros Alexandre Padilha e o atual líder do PT no Senado, Humberto Costa, vão analisar o cenário da saúde pública no país.

Lula

O ex-presidente Lula participará também. Falará, como presidente de honra, logo na abertura da reunião com transmissão pela TV PT no YouTube.

A parte da manhã será transmitida ao vivo pelo canal do partido. Mas os debates à tarde serão fechados. No fim do dia, será aprovada a resolução do partido diante da crise sanitária e econômica.

Uma forte crítica ao presidente Bolsonaro, o apoio à medida do isolamento social para impedir o avanço de pandemia no Brasil e caminhos urgentes para garantir o amparo social à população constam nas mensagens que farão parte da resolução a ser debatida.

A corrente majoritária do PT, que representa 53% da base, a CNB, pretende defender que não é hora para impeachment apesar “dos desmandos e da falta de capacidade de gestão” do presidente Bolsonaro.

Segundo a corrente, da qual faz parte a própria presidente do partido, Gleisi Hoffman, e os ex-ministros da saúde Humberto Costa e Padilha, o processo de impeachment agora só agravaria a crise.

Videoconferência

A maioria do partido defende que todo o foco seja colocado no debate e nas ações para superar a crise econômica e sanitária do país.

A reunião do Diretório Nacional será realizada por teleconferência. Gleisi vai conduzir o processo de casa, no seu apartamento funcional na 309 Sul.

> Bolsonaro recebe pedido formal de intervenção nos estados. “Absurdo”, reage jurista

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!