Conselho de Ética decide pela perda de mandato de Flordelis

Por maioria de 16 votos contra 1, o Conselho de Ética da Câmara decidiu, nesta terça (8), pela cassação do mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ). A parlamentar é acusada de matar o marido, o pastor Anderson do Carmo, no ano passado.

O único deputado que votou a favor de Flordelis foi Márcio Labre (PSL-RJ).

A próxima etapa é remeter a pauta ao Plenário da Casa, a quem caberá dar a palavra final. Para que a decisão se mantenha, é necessário maioria absoluta, isto é, 257 votos favoráveis à decisão do Conselho.

O relatório pela cassação de Flordelis é de autoria do deputado ALexandre Leite (DEM-SP), apresentado na semana passada.

Entenda o caso

O pastor Anderson do Carmo foi assassinado na casa da família. O crime teria tido o envolvimento de alguns dos filhos biológicos e adotivos da parlamentar. No ano passado, ela não foi presa por ter foro privilegiado.

A defesa de Flordelis alega que a filha dela, Simone dos Santos, mandou matar o padrasto por ser assediada. A parlamentar afirma não ter conhecimento do possível assédio sofrido pela filha. "Eu não compactuo com isso", disse. Em janeiro, Simone dos Santos admitiu ter dado dinheiro para a irmã, Marzy Teixeira, para matar o padrasto. O depoimento levantou dúvidas sobre o envolvimento da deputada no crime.

A parlamentar fluminense afirmou existirem provas suficientes para comprovar sua inocência. "É por esse direito de defesa que clamo à vossas excelências, que me permitam esclarecer todos os fatos, de modo a desmontar e declarar que eu Flordelis, pessoa, ser humano, mulher, mãe, eu sou inocente. Gostaria de pedir a vossas excelências que não cometam nenhuma injustiça comigo, por favor".

> Ao Conselho de Ética, Flordelis diz que marido ficava com 60% de seu salário

 

Continuar lendo