Congresso ouve Pazuello sobre testes de covid-19 prestes a vencer

A comissão mista que acompanha as ações do governo federal no enfrentamento da pandemia vai ouvir na quarta-feira (2), a partir das 10h, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello.

O ministro foi convidado por deputados e senadores a explicar a denúncia de que o Brasil corre o risco de perder, por data de validade, 6,86 milhões de testes para diagnóstico do novo coronavírus, os chamados RT-PCR. Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, os testes perdem a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021.

Validade pode levar governo a jogar fora 6,8 milhões de testes, diz jornal

Esses exames, do tipo RT-PCR, estão estocados num armazém do governo federal em Guarulhos (SP) e, até hoje, não foram distribuídos para a rede pública. Para fins de comparação, o Sistema Único de Saúde (SUS) aplicou cinco milhões de testes deste tipo. Com isso, o país pode acabar descartando mais exames do que já realizou até agora.

Ao todo, a Saúde investiu R$ 764,5 milhões em testes para covid-19 e as unidades com data próxima ao vencimento custaram R$ 290 milhões – o lote encalhado tem validade de oito meses.

O RT-PCR é um dos exames mais eficazes para diagnosticar a covid-19. A coleta é feita por meio de um cotonete aplicado na região nasal e faríngea (a região da garganta logo atrás do nariz e da boca) do paciente. Na rede privada, o exame custa de R$ 290 a R$ 400. As evidências de falhas de planejamento e logística no setor ocorrem em um período de aumento dos casos no país.

A comissão mista tem prazo de funcionamento até 31 de dezembro, quando se encerra o estado de calamidade pública estabelecido por decreto presidencial.

Continuar lendo