Com pauta cheia, Câmara deve priorizar votação de diretrizes orçamentárias

A Câmara dos Deputados tem cerca de vinte projetos para serem votados na pauta desta semana. A Casa tem na agenda a sessão do Congresso Nacional que tem como prioridade a votação do Orçamento de 2022 e a análise de vetos do presidente Jair Bolsonaro. Sem a votação da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), o Legislativo não entra em recesso que, pela constituição, se inicia no dia 18 de julho e vai até o dia 31. O relatório da LDO ainda será votado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) na terça-feira (13).

Dos vinte projetos em votação, pelo menos cinco estão em destaque entre os parlamentares. A votação do Projeto de Lei 6726/2016 que regulamenta os supersalários do funcionalismo público está na pauta dos deputados.

O texto normaliza o pagamento das verbas e gratificações que ultrapassem o limite constitucional, que corresponde ao salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), atualmente fixado em R$ 39.293,32, de acordo com o Portal da Transparência.

O presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), já defendeu que é preciso votar o PL para que “o Estado fique mais leve”. “É uma demanda da sociedade para que se corrijam essas distorções”, emendou.

O Projeto de Lei 2633/20, que inclui imóveis da União na regularização fundiária, incluindo assentamentos, também deve ser discutido. De acordo com o texto, as regras são restritas a áreas ocupadas até julho de 2008 com até seis módulos  fiscais, unidade fixada para cada município pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que varia de cinco a 110 hectares.

O PL 591/21 que permite a entrada do serviço privado no setor dos postais pode ir a voto, mas enfrenta bastante embate dentro da Câmara até mesmo da base aliada do presidente Bolsonaro. A prorrogação da dedução do imposto de renda para quem faz doações a programas de saúde pública está no radar dos deputados através do PL 5307/2020. O PL já foi aprovado no Senado e estende os prazos de até 2026.

A alteração da Lei Pelé está pendente de análise. O Projeto de Lei 5197/2020, que amplia o direito ao mando de campo nas partidas de futebol, também poderá ser votado até o final de julho.

Com as mudanças, a definição de campos nas partidas de futebol deverá ser exercido preferencialmente no limite da jurisdição da federação a que pertença o clube mandante, podendo a agremiação escolher outras praças. A proposta é do deputado Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF).

> Congresso corre contra o tempo para votar LDO e poder entrar em recesso

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo