Câmara aprova teto de gastos para campanhas municipais igual ao de 2016

A Câmara aprovou  na madrugada de quarta-feira (2) a proposta que prevê o teto de gastos  para  as campanhas eleitorais municipais de 2020.  Como  aprovada na redação final, ficou estabelecido o teto de gastos igual ao de 2016, corrigido pela inflação. Cada candidato pode doar até  10%  do teto de gastos  do seu município para sua própria campanha.

> Veja como os senadores votaram a reforma da Previdência

Em 2016,  Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu por limitar como teto 70% do valor investido em 2012. Sendo assim, ficou aprovado que o valor a ser gasto em 2020 nas campanhas municipais, equivale a 70% dos valores gastos em 2012, corrigida a inflação.

A sessão foi tumultuada devido a um destaque apresentado pelo novo, que previa que os candidatos pudessem doar para suas próprias campanhas valores indeterminados, desde que não ultrapassasse o teto de gastos.

O deputado Marcel Van Hattem (NOVO-RS) encontrou muita resistência enquanto apresentava a proposta, recebendo por duas vezes vaias do parlamento.

O texto aprovado não foi o mesmo que chegou no plenário no fim da tarde de terça-feira (1). Foi apresentado, de última hora, um substitutivo, ou seja, uma proposta alternativa, que é a que foi aprovada.

> Indefinição sobre receita de pré-sal para estados pode atrasar Previdência

> Lançamos nosso primeiro crowdfunding. Contribua para o jornalismo independente!

campanhaeleições 2020Eleições municipaisgastos públicosMarcel Van Hattemnovoteto de gastos