Briga pela liderança racha PSB e PDT. Entenda os bastidores

Com o início do novo ano legislativo, os blocos partidários já se movimentam para definir as composições das lideranças, tanto das siglas quanto das bancadas. Apesar dos acordos fechados ainda no ano passado, alguns partidos brigam internamente para definir quem assumirá o lugar de destaque em 2020.

> Esquerda não superou regime política apodrecido, diz líder do Psol

Com a situação ainda indefinida, o ex-líder da oposição Alessandro Molon (PSB-RJ) está pleiteando assumir a liderança do PSB. As conversas dentro da sigla estão bem adiantadas, mas faltam acordos internos para que o anúncio público aconteça. "A situação já está praticamente definida, só falta fechar algumas conversas, pois na política tudo é diálogo", afirmou uma fonte ligada à legenda na Câmara.

Em 2019 havia sido acordado que Danilo Cabral (PE) seria o líder da sigla em 2020, mas como Molon deixou a oposição e entrou no páreo com força, o presidente do partido, Carlos Siqueira, tenta costurar novo acordo e evitar um racha partidário. Siqueira vai tentar convencer Danilo a abrir mão da liderança em 2020 para assumir o cargo em 2021. A ideia está sendo vista com simpatia por alguns membros.

Alguns dos deputados que sofreram pressões internas por terem votado favoravelmente à reforma da Previdência assinaram as duas listas que corriam em favor de Molon e Cabral. Essa sobreposição está fazendo com que a situação ainda não esteja oficializada. A cúpula do partido procura uma saída para que não se deflagre um racha partidário.

No PDT a situação está ainda mais indefinida. André Figueiredo (CE) tenta se manter na liderança. Porém, Wolney Queiroz (PE) está brigando para conseguir o cargo de líder. Para resolver essa situação o presidente da sigla, Carlos Lupi, chegará a Brasília ainda nesta quinta-feira (13). O anúncio do partido está previsto para acontecer na próxima terça (18).

Já no PT, a liderança será de Ênio Verry (PR) e no Psol, de Fernanda Melchionna (RS). PCdoB e Solidariedade seguem com a situação indefinida.

A oposição e a minoria estão sendo disputadas, mas ao que tudo indica os principais nomes na disputa são José Guimarães (PT-CE) e Marcelo Freixo (Psol-RJ). Pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, deputado fluminense está atuando nos bastidores para conseguir um dos dois lugares de destaque.

No ano passado havia sido fechado um acordo em que o PSB ficaria com a liderança da oposição em 2019 e o PT em 2020. Freixo, porém, tem interesse na vaga. Devido a um acordo semelhante fechado em 2019, neste ano a liderança da minoria deveria ser do PT ou do PDT. O cenário, porém, continua indefinido.

> O que o Congresso deverá votar em 2020

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!