Braga Netto pode ter de explicar ameaças a Comissão no Senado

O deputado Túlio Gadelha (PDT-PE), enviou um ofício ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), solicitando a abertura da Comissão Representativa do Congresso para investigar as declarações do ministro da Defesa, Braga Netto. O deputado pede que a Comissão seja instalada em “caráter de urgência”.


Com sete senadores e dezesseis deputados, cabe à Comissão  fiscalizar e controlar o Poder Executivo, além de convocar ministros de Estado, durante o recesso legislativo.

"Dentro de um contexto de escalada autoritária e antidemocrática do Governo Bolsonaro, permeada por constantes bravatas golpistas e reiteradas ameaças de ministros, comandantes das forças armadas e do próprio presidente da república, é fundamental que o Congresso Nacional tenha uma postura firme diante dos acontecimentos", diz o ofício.

Informações reveladas pelo Estadão na quinta-feira (22) dão conta que o ministro da Defesa mandou um recado ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), condicionando a eleição de 2022 à implantação do voto impresso. De acordo com o jornal, Lira procurou Bolsonaro por ter entendido a fala de Braga Netto como ameaça a tentativa de golpe e disse que  não embarcaria em rupturas institucionais e não admitiria golpes.
No entanto, Braga Netto nega a informação.

O voto impresso está sendo discutido na Câmara dos Deputados com a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/2019, de autoria de uma das principais  aliadas do presidente Jair Bolsonaro na Câmara, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Bia Kicis (PSL-DF). O texto já foi aprovado na Comissão especial e aguarda votação no plenário da Casa.

> Forças Armadas não respaldam aventura golpista, avalia general

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo