Bolsonaro evita imprensa pela segunda vez após vídeo de ato contra o Congresso

O presidente Jair Bolsonaro evitou falar com jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (27). Bolsonaro também não se manifestou ontem ao chegar à residência oficial após viagem a Guarujá (SP), onde passou o período de carnaval. De acordo com a agenda do presidente, ele receberá hoje os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Nesta manhã, Bolsonaro conversou com apoiadores, mas silenciou diante da imprensa e seguiu para o carro oficial em direção ao Palácio do Planalto. Ontem, pelo Twitter, Bolsonaro acusou jornalistas de distorcerem seus atos. O presidente se referia às críticas que recebeu por ter compartilhado um vídeo pelo Whatsapp com convocação de um ato contra o Congresso Nacional.

> Entenda o orçamento impositivo, estopim da crise entre governo e Congresso

Apoiadores de Bolsonaro, inclusive parlamentares aliados, continuam compartilhando o vídeo em suas redes sociais. A oposição denuncia uma possível escalada golpista e discute tomar providências contra o presidente. Há quem defenda, inclusive, a apresentação de um pedido de impeachment, por considerar que ele cometeu crime de responsabilidade. Outros, no entanto, preferem cautela por entender que o presidente ainda tem apoio popular.

> Reformas vivem incerteza após novo atrito de Bolsonaro com o Congresso

Bolsonaro alegou que tem o costume de compartilhar vídeos de cunho pessoal com amigos.

> Oposição marca protestos em resposta a Bolsonaro

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!