Blocos na Câmara são registrados; Lira tem 11 partidos e Baleia 10

Os candidatos à presidência da Câmara dos Deputados registraram na tarde desta segunda-feira (1º) os blocos que dão sustentação às suas candidaturas.

O deputado Arthur Lira (PP-AL) tem em seu grupos os partidos PP, PSD, PL, PSL, Avante, Patriota, Podemos, Republicanos, PSC, PTB e Pros, que somam 236 deputados. Baleia Rossi atraiu os apoios de PT, MDB, PSB, PSDB, PDT, SD, PCdoB, Cidadania, PV e Rede, que representam 210 deputados.

O tamanho dos grupos considera o número de deputados eleitos em 2018, independente de mudanças de partido registradas depois

A composição do bloco importa porque define quem terá prioridade na composição dos cargos da Mesa Diretora. A única função na mesa definida por voto direto dos deputados é a presidência.

Cargos como a primeira vice-presidência, que tem a função de substituir o presidente, e a primeira secretaria, que administra as finanças da Casa, são dados a deputados dos maiores partidos dos maiores blocos.

Veja como fica a distribuição dos cargos na Mesa:

  • primeira vice-presidência: PL;
  • segunda vice-presidência: PSD;
  • primeiro secretário: PT;
  • segundo secretário: PSDB;
  • terceiro secretário: PSL;
  • quarto secretário: Rede.

Baleia começou a campanha com a expectativa de ter o maior grupo, mas ficou atrás de Lira após o PSL desembarcar do grupo do emedebista.

A dianteira do bloco de Lira foi ampliada com o desembarque do DEM do grupo de Baleia. O DEM é o único partido que não fechou posição e liberou a bancada na votação. O Psol concorre com Luiza Erundina e o Novo disputa com Marcel Van Hatten. Alexandre Frota (PSDB-SP), Fábio Ramalho (MDB-MG), André Janones (Avante-MG) e General Peternelli (PSL-SP) são candidatos avulsos, sem o apoio de seus respectivos partidos.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!