Aras tem mais chance para PGR que Eduardo para embaixador, diz Randolfe

Para o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (REDE-AP), a indicação de Augusto Aras para a procurador-geral da República (PGR) deverá ser aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Já quando se trata da indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) para o posto de embaixador nos Estados Unidos, o senador acredita em uma derrota para o governo.

> Relator promete parecer técnico, mas favorável a Aras

O indicado para o posto de PGR esteve reunido na última terça-feira (10) com o colégio de líderes do Senado. Randolfe, que além de líder da oposição também é líder da Rede na casa, não compareceu. “Não é o colégio de líderes o foro dele, o foro que ele tem que ser sabatinado é o de Comissão de [Constituição e] Justiça, não é o colégio de lideres. Porque o foro prévio, longe de câmeras, longe da presença da imprensa?”, indaga o senador.

Apesar de ter fortes críticas quanto a maneira em que o Senado tem tratado o caso, o líder da oposição vê como remota a chance de uma rejeição ao nome de Aras.”Pelo que eu tenho visto das manifestações de senadores do governo e oposição, ele tem agradado diferentes [senadores] por motivos diferentes”.

Eduardo Bolsonaro para a embaixada em Washington

Diferente do caso de Aras, o senador não vê a aprovação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada nos Estados Unidos como certa. Para ele, o deputado não está à altura do cargo. “O cidadão não passaria na porta do Instituto Rio Branco, quanto mais ser representante diplomata do principal posto diplomata no exterior”, diz o parlamentar.

Eduardo declarou em entrevista ao Congresso em Foco, que acredita já ter a maioria dos votos necessários para ser aprovado. Randolfe discorda. “Eu acho que ele não tem os votos e eu espero que o Senado não passe essa vergonha”, diz o senador.

Bolsonaro ainda não indicou o filho oficialmente para o cargo. Em declarações recentes o presidente afirmou que só enviará a mensagem quando tiver certeza de que o filho tem os votos necessários para ser aprovado.

> Para ex-ministro de Dilma, Aras foi escolha melhor que lista tríplice

> Procuradores em luto chamam nomeação de Aras de “retrocesso constitucional”

ArasEduardo BolsonaroEduardo embaixadorembaixadorRandolfe Rodrigues