Após evento com Ciro e Suplicy, deputado se reúne com ministro de Bolsonaro

O líder do Podemos na Câmara dos Deputados, José Nelto, participa nesta terça-feira (3) de almoço com o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos.

Também foram convidados todos os deputados da bancada do Podemos na Câmara.

Um dia antes, na segunda-feira (2), Nelto participou, em São Paulo, do evento de lançamento do Direitos Já, grupo suprapartidário de oposição ao presidente Jair Bolsonaro.

> Membros do PT, PSDB, PDT e PC do B lançam grupo de oposição a Bolsonaro
> Câmara recebe com otimismo entrada de general Ramos na articulação política

Também estiveram presentes Ciro Gomes (PDT), Flávio Dino (PC do B), Eduardo Suplicy (PT) e Márcio França (PSB). Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Antonio Anastasia (PSDB) mandaram vídeos para serem transmitidos no local.

“Onde tiver qualquer cidadão falando em direitos, democracia e liberdade estou participando. Não sou deputado do governo, meu compromisso com o governo é zero, meu compromisso é com o Brasil”, disse ao Congresso em Foco.

De acordo com Nelto serão tratados os seguintes temas na reunião com o ministro militar de Bolsonaro: retomada da economia, Amazônia, queimadas, relacionamento do governo com países europeus, retomada do programa de moradia e abertura do sistema financeiro.

O representante do Podemos na Câmara reclamou do fato de ainda não ter recebido emendas impositivas, que são verbas encaminhadas pelo Poder Executivo para que deputados façam obras e outros projetos para seus estados e municípios.

A destinação desse dinheiro foi usada pelo governo federal para garantir votos favoráveis na reforma da Previdência. No entanto, Nelto nega que os deputados da sigla tenham votado esperando receber emendas.

“O Podemos não votou a reforma da Previdência pensando em emendas. O que ele [Jair Bolsonaro] tem de pagar é restos a pagar, emendas impositivas é obrigação do governo pagar, ele não faz nenhum favor, não. Faz parte do presidencialismo de coalizão, se fez algum compromisso, tem que cumprir”, falou.

> Líder do PSL no Senado defende mudança na articulação política: “O problema não é a oposição. São os aliados”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!