Por problemas técnicos, Senado encerra sessão e adia votação de projetos

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), encerrou a sessão remota desta quinta-feira (2) em função da instabilidade no sistema de comunicação. Os senadores haviam aprovado mudanças na medida provisória que regula o funcionamento das assembleias de sócios e votação a distância (MP 931/2020).

Vai à sanção MP que prorroga prazos de assembleias empresariais

Também haviam sido aprovadas autorizações para empréstimos para prevenção de alagamentos em Curitiba (PR). Um dos contratos de crédito da capital do Paraná é com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Os recursos, no valor de € 38,1 milhões, destinam-se ao financiamento parcial do Projeto Gestão de Risco Climático Bairro Novo do Caximba, além de um plano de recuperação ambiental. O relator da matéria, senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), explicou que o projeto visa preparar o município para enfrentar efeitos de mudanças climáticas, como alagamentos.

Depois da aprovação da MP que altera as regras para realização de assembleias de empresas, o senador José Maranhão (MDB-PB) fazia a leitura do relatório ao PL 848/2020, que estende a validade da receita médica ou odontológica enquanto durar o distanciamento social, quando a comunicação foi interrompida.

O presidente avaliou que não havia condições de prosseguir e encerrou a sessão. Também não foi apreciado o PL 1826/2020, que autoriza o Executivo a criar programa de benefício aos profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia de covid-19 pelo SUS. Não foram agendadas novas datas para análise das matérias.

Projeto que desvincula R$ 160 bi de fundos terá votação em regime de urgência

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!