Congresso aprova repasse extra a ministérios

O Congresso Nacional aprovou crédito suplementar de R$ 3,3 bilhões para pagar obrigações com organismos internacionais e reforçar ações de sete ministérios. Na Câmara, 317 deputados foram favoráveis à matéria e 20 contrários.

Durante a discussão da matéria, deputados criticaram a proposta e disseram que é um texto “eleitoreiro” que tem o objetivo de garantir o pagamento de emendas parlamentares como forma de angariar votos para a candidatura de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara.

“Este é o PLN da eleição do Lira. Estão fazendo o PLN para até 31 de dezembro abrir créditos que são ilegais, não têm respaldo nas resoluções. É um PLN que era de R$ 43 milhões passou para um valor de R$ 3,3 bilhões com a mensagem modificativa do governo. Vamos obstruir e estamos obstruindo”, disse ao Congresso em Foco o deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS).

Entre recursos destinados aos ministérios, o apoio à Política Nacional de Desenvolvimento Urbano ficará com R$ 400 milhões; os projetos de desenvolvimento sustentável, com R$ 380 milhões; o auxílio à infraestrutura turística será reforçado com R$ 460 milhões; o fomento ao setor agropecuário, com R$ 437 milhões; os assentamentos rurais, com R$ 121 milhões; e os institutos federais de ensino profissional e tecnológico, com R$ 100 milhões; entre outros.

Desde o início da pandemia, deputados e senadores estão se reunindo de forma separada nas sessões do Congresso, como forma de reduzir os riscos de contágio com o novo coronavírus. Cada Casa usa seu próprio sistema de votação.

>Bolsonaro veta banda larga em todas as escolas públicas até 2024

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!