Suspeitos de hackear Moro e Deltan ficarão presos por tempo indeterminado

Os dois suspeitos de hackear o celular de autoridades, que cumpriam prisão temporária desde o dia 19, tiveram a prisão preventiva decretada. Luiz Molição e Thiago Eliezer Martins foram presos na operação Spooging e deveriam ser soltos até este domingo (29), mas com a prisão preventiva decretada, não existe mais prazo para a soltura.

> Acordo de Alcântara trará avanços, mas tirará 800 famílias de suas terras

A operação apura as invasões dos telefones de pessoas ligadas à Lava Jato, como o ex-juiz e hoje ministro Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. Na primeira fase da operação quatro pessoas foram presas.

Walter Delgatti Neto, foi um dos presos na primeira fase e ele afirmou ser o responsável pelo envio mensagens da Lava Jato para o site The Intercept Brasil, o que deu início a série de reportagens conhecida como Vaza Jato.

Além do desgaste político ao ministro da Justiça Sergio Moro e aos procuradores do Ministério Público, os vazamentos também ocasionaram muitos embates dentro do Congresso Nacional. O mais recente deles é a tentativa de abrir a chamada CPI da Lava Jato, para investigar o conteúdo das mensagens divulgadas.

> Entre agora no Catarse para colaborar  com o jornalismo independente

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!