STF rejeita pedido de bolsonaristas para destituir comando da CPI das Fake News

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou mandado de segurança de deputados bolsonaristas para tirar o senador Angelo Coronel (PSD-BA) e a deputada Lídice da Mata (PSB-BA) da presidência e da relatoria da CPI mista das Fake News. Os autores do pedido alegavam que os dois parlamentares agiam com parcialidade e arbitrariedade na condução dos trabalhos.

>Aumenta o índice de reprovação ao Congresso, aponta Datafolha

Gilmar seguiu o entendimento do procurador-geral da República, Augusto Aras, que havia dado parecer contrário ao prosseguimento do pedido. Segundo Aras, Coronel e Lídice atuaram dentro dos parâmetros da legalidade.

A ação foi movida pelos deputados federais Beatriz Kicis, Alê Silva, General Girão, Aline Sleutjes, Carlos Jordy, Luiz Ovando e Carla Zambelli, todos do PSL. Parte do grupo é alvo do inquérito das fake news em andamento no próprio STF. Eles alegavam que Coronel e Lídice perseguiam politicamente apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

>Psol vai ao MP contra Sara Winter por divulgar dados de menina estuprada

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!