Alexandre de Moraes adia julgamento que pode tornar Daniel Silveira réu

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), adiou o julgamento da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) pela promoção de atos antidemocráticos.

A análise do caso em plenário estava marcada para esta quinta-feira (11). Se a denúncia for aceita, o parlamentar vira réu.

Segundo Moraes, o prazo para defesa do deputado terminou no último dia 5, mas os advogados do parlamentar não teriam enviado à corte sua defesa. "Somente na data de ontem [quarta-feira], o que muito me estranhou, a defesa pediu novo prazo de 15 dias", disse Moraes, que acabou por reabrir o prazo. O ministro disse ainda que analisará o pedido de liberdade provisória do deputado.

A decisão de Moraes enfureceu o decano da corte, ministro Marco Aurélio Mello, que pediu que o caso fosse levado ao Plenário por considerar grave o fato do parlamentar estar preso desde o dia 17 de fevereiro.

Em uma tréplica, Moraes considerou a possibilidade de julgar o caso sem sua autorização como "um desrespeito ao relator". Mello então se referiu a Moraes como "xerife" e ao presidente da corte, Luiz Fux, como "autoritário". "Não aceito mordaça", disse o decano, contrariado.


> MPF denuncia Jucá e Edison Lobão por crimes na construção de Angra 3

Continuar lendo