Psol entra com notícia-crime contra Bolsonaro no STF por ataque a repórter

A bancada do Psol na Câmara entrou com uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (24). O partido pede a apuração  pela Procuradoria-Geral da República (PGR) do ataque feito pelo presidente contra repórter do jornal O Globo no domingo (23).

Segundo o documento do Psol, assinado pelos 11 deputados federais do partido, Bolsonaro feriu ao princípio da liberdade de imprensa e cometeu os crimes de constrangimento ilegal e ameaça. Os crimes estão previstos nos artigos 146 e 147 do Código Penal, respectivamente.

Veja o pedido na íntegra.

A deputada Sâmia Bonfim (SP), líder do partido na Câmara, e o deputado Marcelo Freixo (RJ) publicaram nas suas redes sociais que estão coletando assinaturas para instaurar um Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os depósitos feitos por Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, na conta bancária da primeira-dama.

> Carlos Bolsonaro compartilha vídeo do pai ameaçando agredir jornalista

Fabrício Queiroz é investigado pelo esquema de “rachadinha” no gabinete do filho mais velho do presidente, à época em que Flávio ocupava uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

No episódio deste final de semana, o repórter do jornal O Globo questionou o presidente porque a sua esposa teria recebido cheques pagos por Queiroz no valor de R$ 89 mil, fruto do esquema de “rachadinha”. Bolsonaro ameaçou o profissional ao afirmar “vontade que tenho é encher a sua boca de porrada”.

A Federação Nacional dos Jornalistas apontou que somente no primeiro semestre do ano, o presidente atacou 245 vezes jornalistas e veículos de mídia. Isso significa 10 ataques por semana contra os profissionais de imprensa.

>Bolsonaro diz que chance de jornalista “bundão” sobreviver à covid-19 é menor

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!