MPF cobra R$ 300 mil de pastor por venda de “feijões mágicos” contra covid-19

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma nova ação contra o pastor Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus. Em uma ação civil pública, os promotores pedem que o pastor  e sua igreja paguem pelo menos R$ 300 mil de indenização por divulgarem uma cura falsa da covid-19.

O líder evangélico já tinha sido alvo de uma notícia-crime, conforme o Congresso em Foco mostrou em maio, por "possível prática de estelionato". A ação foi impetrada pelo MPF, por meio da Procuradoria Regional da República da 5ª Região no Recife (PE). Em vídeo divulgado em diversas páginas da internet, o pastor aparece anunciando sementes de feijão com supostos poderes de curar a covid-19.

O pastor cobrava R$ 1.000 por semente. O Ministério da Saúde desmentiu a eficácia do tratamento oferecido pelo religioso. O órgão também é alvo da ação do MPF por ter retirado do site uma mensagem em que alertava contra os anúncios dos feijões de Valdemiro.

Na notícia-crime movida em maio, o MPF afirma que o intuito do pastor está claro: os fiéis devem pagar valores predeterminados para obter feijões mágicos que poderão curá-los da covid-19, mesmo em casos graves. Em material divulgado pelo MPF, o órgão ressalta que o pastor reforça a ideia de que "não basta ter fé nem ser seguidor do líder religioso, pois não há a possibilidade de fiéis sem condições econômicas receberem o produto". As sementes só serão entregues àqueles que exibirem comprovante de pagamento.

A covid-19 já matou 95.819 brasileiros e infectou 2.801.921 pessoas no país. São mais de 18 milhões de infectados e 700 mil mortes no mundo.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!