Ministério da Justiça: Celulares de Bolsonaro foram alvo de hackers

O Ministério da Justiça afirmou, nesta quinta-feira (25), que os celulares usados pelo presidente Jair Bolsonaro foram alvos de ataques do grupo de hackers preso na Operação Spoofing, deflagrada na terça-feira (23). Autorizada pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília, a operação investiga a invasão do celular do ministro Sergio Moro, do coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, o procurador Deltan Dallagnol, entre outras autoridades.

Em comunicado, o ministério avisou que o alerta saiu da Polícia Federal, que apura as invasões dos aparelhos. “Por questão de segurança nacional, o fato foi devidamente comunicado ao presidente da República”, afirma comunicado do Ministério da Justiça.

Na terça-feira, quatro pessoas suspeitas de invadir o celular do ministro Sergio Moro e do procurador Dallagnol. A Polícia Federal informou que os hackers atacaram aproximadamente mil telefones celulares e participaram de fraudes bancárias.

“Nós estamos estimando que aproximadamente mil números telefônicos diferentes foram alvo dessa operação por essa quadrilha”, disse o coordenador geral de inteligência do órgão, o delegado federal João Vianey Xavier Filho, em apresentação à imprensa.

Foram presos na operação Danilo Cristiano Marques, Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila de Oliveira e Walter Delgatti Neto. O advogado Ariovaldo Moreira, que representa Elias Santos, disse que o cliente relatou que Vermelho desejava vender ao PT as mensagens captadas por meio do grampo.

Pelas redes sociais, Moro parabenizou a Polícia Federal pela investigação que acabou com a prisão dos hackers que invadiram seu celular. Ele admitiu, porém, que é preocupante o alcance das atividades dos hackers. Além dele, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também foi alvo do grupo, segundo suspeita da Polícia Federal.

>> Entenda como hackers tiveram acesso a mensagens de Moro

O presidente Jair Bolsonaro usa o celular pessoal para as comunicações de governo. Em nota, o Ministério do Gabinete de Segurança Institucional declarou que disponibiliza um aparelho especial para que Bolsonaro use e evite invasões.

Leia a íntegra:

“1. O GSI ratifica que disponibiliza ao governo federal, por intermédio da Agência Brasileira de Inteligência, um Terminal de Comunicação Seguro (TCS), com tecnologia da própria Agência, cabendo às autoridades optar pelo equipamento e operá-lo conforme suas necessidades funcionais.
2. O TCS é móvel, possui funções de chamada de voz e troca de mensagens e arquivos, criptografados com algoritmos de Estado. Não permite a instalação de aplicativos comerciais e pode realizar ligações em claro (sem criptografia). As suas regras de utilização constam na Portaria nº 85, do GSI, de 26 de junho de 2017.
3. Preventivamente, considerando a complexidade do tema, nos cenários nacional e internacional, o GSI publica recomendações e alertas de segurança à Administração Pública Federal, disponíveis no endereço eletrônico www.ctir.gov.br, além de normatizações sobre Segurança da Informação e Comunicações (http://dsic.planalto.gov.br/).
4. Por fim, ressaltamos que detalhes e desdobramentos sobre o assunto serão apurados por Inquérito instaurado pela Polícia Federal.””

 

BolsonarogovernoMoroPaulo GuedesPFPolícia FederalSpoofing