Justiça dá 72h para Eduardo Bolsonaro excluir postagens que ligam Omar Aziz à pedofilia

O Tribunal de Justiça do Amazonas concedeu liminar a pedido do senador Omar Aziz (PSD-AM) que determina a exclusão das postagens do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) que liga Aziz ao crime de pedofilia. O documento foi assinado pela juíza Maria do Perpétuo Socorro da Silva Menezes.

A causa foi levada ao TJ em 10 de agosto. O filho do presidente Jair Bolsonaro tem até 72h para excluir as publicações e está sujeito a multa de R$ 5.000 por dia. A decisão foi publicada na terça (17).

Segundo a juíza, a liminar tem por objetivo evitar "dano de difícil reparação” a Omar Aziz.

No Twitter, o 03 respondeu às criticas do senador sobre o encontro de Bolsonaro com a parlamentar ultradireitista alemã Beatrix von Storch. Segundo a juíza, a liminar tem por objetivo evitar "dano de difícil reparação” a Omar Aziz.

 

A publicação foi veiculada em outros dois meios e todas permanecem ativas no perfil do deputado.

O senador também pede indenização de R$ 44 mil pelas postagens. No entanto, o pedido ainda não foi analisado pelo TJ.

Subprocuradores encaminham ao MPF representação criminal contra Sérgio Reis

Pacheco reúne-se com Fux e tenta reconstruir diálogo entre Poderes

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo