Glenn Greenwald é ouvido na Câmara sobre diálogos entre Moro e procuradores da Lava Jato

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara ouve nesta tarde  o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil. O site tem publicado uma série de diálogos do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, com procuradores da força-tarefa da Lava Jato quando era juiz responsável pelo processos da operação. As conversas sugerem que Moro orientou os procuradores, o que contraria a divisão das competências do Judiciário e do Ministério Público.

> Moro, Glenn, Bolsonaro e a parede sombria da democracia brasileira

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, na semana passada, o ministro disse não reconhecer autenticidade das mensagens, que evidenciariam a condução política da operação contra o PT e o ex-presidente Lula, segundo o site de notícias de Greenwald. Mesmo assim, disse não ver nada comprometedor nas conversas divulgadas até o momento. O ministro participou de audiência pública no Senado no último dia 19, em que negou ter cometido qualquer irregularidade na condução da Lava Jato.

> No Senado, Moro omite informação sobre grampo em Lula e Dilma 

O debate foi proposto pelos deputados Camilo Capiberibe (PSB-AP), Carlos Veras (PT-PE), Márcio Jerry (PCdoB-MA) e Túlio Gadelha (PDT-PE). Segundo os parlamentares, as reportagens assinadas por Gleen Greenwald, "jogam dúvidas contundentes sobre a imparcialidade na atuação do Juiz Sérgio Moro e de outros juízes e procuradores". O jornalista também relatado que tem sofrido ameaças de morte desde o início da série.

Com informações da Agência Câmara

> Raquel Dodge é contra pedido de Lula para anular processo do tríplex

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!