Deputado aciona PGR e acusa Bolsonaro de crime contra a saúde pública

O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) protocolou uma notícia crime contra o presidente da República Jair Bolsonaro nesta segunda-feira (1º) na Procuradoria Geral da República (PGR). O parlamentar acusa o presidente de crimes contra a saúde pública (infração de medida sanitária preventiva) e de responsabilidade.

"É urgente que tais ações sejam apuradas e punidas diante do risco de que muitas outras vidas sejam perdidas, causadas por atos criminosos como o exposto aqui. Se a maior autoridade do país comete tal desrespeito, porque a população comum deve respeitá-las?", diz a representação.

Leia a íntegra:

No documento, endereçado ao procurador-geral da República, Augusto Aras, o deputado cita, entre diversas posturas de Bolsonaro, as recentes visitas do presidente a cidades paranaenses como Foz do Iguaçu e Cascavel quando provocou diversas aglomerações e não usou máscara.

"Nos últimos dias no Paraná esteve em Cascavel, onde inaugurou o Centro Nacional de Atletismo, mas na sua chegada no aeroporto promoveu uma grande aglomeração sem uso de máscara e cumprimentando os apoiadores e carregando criança no colo, assim como mostra fotos em anexo. Em visita a Foz do Iguaçu (PR), Bolsonaro e sua comitiva repetiu suas atitudes e incentivando as aglomerações, não fizeram uso de mascaras e não respeitaram o distanciamento social", descreve o deputado.

Zeca Dirceu destaca ainda falas de Bolsonaro que contrariam as orientações da própria Organização Mundial da Saúde (OMS), como as críticas ao isolamento social e o questionamento do uso das máscaras.

"Tais posturas reforçam que desde o início da pandemia Bolsonaro comete crimes contra a saúde pública e incentiva para que os demais também o façam, questionando o isolamento, a ciência e a imunização da população".

> Negacionista, Conselho Regional de Medicina do DF é contra lockdown

> Lira afirma que governo prometeu 140 milhões de doses de vacina até maio

Continuar lendo