Cidadania tenta derrubar decisão que libera cultos e missas

O partido Cidadania entrou com um mandado de segurança coletivo no Supremo Tribunal Federal contra a decisão do ministro Kassio Nunes Marques que libera a realização de cultos e missas em todo o país. Segundo o presidente da legenda, Roberto Freire, a decisão é um "atentado contra a saúde dos brasileiros".

Em decisão publicada no sábado (3), Kassio determinou que "os Estados, Distrito Federal e Municípios se abstenham de editar ou de exigir o cumprimento de decretos ou atos administrativos locais que proíbam completamente a realização de celebrações religiosas presenciais, por motivos ligados à prevenção da Covid19"..

A decisão causou também reação entre prefeitos e governadores. Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte, disse que vai manter o decreto municipal que suspende a realização de cultos presenciais.

Continuar lendo