Capitais registram manifestações em defesa da Operação Lava Jato

Capitais registram protestos neste domingo (6) em defesa da Operação Lava Jato. Convocados pelo movimento Vem pra Rua, os atos criticam o procurador-geral da República, Augusto Aras, e saem em defesa do ex-juiz Sergio Moro e do procurador Deltan Dallagnol, que esta semana deixou a coordenação da força tarefa da Lava Jato em Curitiba. Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Macapá, Maceió e Natal são algumas das capitais que registram atos, em especial carreatas.

Depois do pedido de afastamento de Deltan Dallagnol, sete integrantes da força-tarefa em São Paulo apresentaram ao procurador-geral da República, Augusto Aras, um pedido coletivo de exoneração (confira na íntegra).

Procuradores da Lava Jato em São Paulo pedem demissão coletiva

Além dos ataques a Aras, também há críticas ao Poder Legislativo e à aliança do presidente Jair Bolsonaro com partidos do Centrão. “Executivo e Legislativo enfraquecem o combate à corrupção, aprovando leis como a do abuso de autoridade, restringindo as delações premiadas, as prisões preventivas e permitindo que políticos usem dinheiro público para bancar advogados em processos por corrupção”, diz texto de convocação de carreatas.

Na quarta-feira (2), sem o avala de Aras, a subprocuradora-geral da República Maria Caetana Cintra Santos concedeu liminar (íntegra) para a continuidade das atividades da força-tarefa por mais um ano. A validade de funcionamento do grupo terminaria no dia 10 de setembro. Não está claro se a conselheira tem competência para decidir sobre o tema sozinha. A subprocuradora submeteu a decisão ao Conselho Superior do Ministério Público Federal, que terá de referendá-la em sessão ainda não agendada.

Na capital federal, o protesto partiu do Centro de Convenções Ulysses Guimarães e terminou em frente à Procuradoria-Geral da República (PGR). Os manifestantes cobram posição do PGR sobre a prorrogação da operação.

O trânsito de veículos na Esplanada dos Ministérios foi interrompido neste domingo (6), na expectativa de manifestações. A avenida permanecerá fechada na segunda-feira, feriado de 7 de setembro. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), há dois protestos previstos para amanhã.

Ibope: 33% apontam Bolsonaro como maior responsável pela situação da covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!