Aras pede ao STF apuração sobre atos antidemocráticos com a presença de Bolsonaro

O procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta segunda-feira (20), a abertura de um inquérito para apurar a organização de atos contra a democracia. Neste domingo (19), foram registrados diversos movimentos que pediam o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal por meio de um novo Ato Institucional número 5, instrumento que acirrou o autoritarismo durante a ditadura militar.

> General Peternelli diz que não há razão para AI-5 e elogia trabalho da Câmara

A princípio, o inquérito não tem como alvo o presidente Jair Bolsonaro, apesar de ele ter participado do movimento. O pedido foi encaminhado ao STF porque entre os organizadores e defensores das manifestações estavam deputados federais, o que justifica a competência do Supremo.

Segundo informações do Ministério Público Federal, o inquérito visa a apurar possível violação da Lei de Segurança Nacional (7.170/1983). De acordo com a assessoria do procurador-geral da República, Augusto Aras, o pedido foi protocolado às 13h30 desta segunda, mas é sigiloso e não deve ser divulgado na íntegra. O sigilo só pode cair se, no curso das investigações, o MPF apresentar denúncia.

“O Estado brasileiro admite única ideologia que é a do regime da democracia participativa. Qualquer atentado à democracia afronta a Constituição e a Lei de Segurança Nacional”, afirmou Aras.

> Bolsonaro faz crise política escalar ainda mais

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!