Temer deve decidir ‘lá na frente’ se veta aumento a ministros do Supremo

O presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (14) que examina com "muito cuidado" o aumento salarial para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo ele, só decidirá se vai sancionar ou vetar "lá na frente". Temer tem até 28 de novembro para tomar a decisão.

“Estou examinando este assunto com muito cuidado e só decidirei lá na frente. Vamos ver como fazemos. Temos até o dia 28 de novembro para a sanção”, disse em Campinas, no interior de São Paulo, após inauguração do projeto Sirius, um acelerador de partículas.

O reajuste altera o subsídio dos 11 integrantes do STF e da atual chefe do Ministério Público Federal, Raquel Dodge, de R$ 33,7 mil para R$ 39 mil. O aumento provoca um efeito cascata sobre os funcionários do Judiciário, abrindo caminho também para um possível aumento dos vencimentos dos congressistas e do presidente da República.

O Senado aprovou o aumento no último dia 7. Segundo nota técnica da Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle da Casa, o impacto do aumento será de pelo menos R$ 5,3 bilhões anuais no orçamento da União, levando-se em conta o “efeito cascata”.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que o aumento era “inoportuno” e sugeriu o veto.

Com informações da Agência Brasil.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!