STF dá cinco dias para Moro apresentar provas contra Bolsonaro

O minsitro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, determinou que Polícia Federal colha o depoimento do ex-ministro Sergio Moro, em até cinco dias, para apurar as acusações feitas contra Jair Bolsonaro.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados federais Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES) haviam entrado com uma ação no STF pedindo para que o prazo anterior, que era de 60 dias, fosse encurtado.

Com a decisão, Moro terá que fazer uma "manifestação detalhada sobre os termos de pronúncia, com uma exibição de identificação idônea e eventualmente sobre os eventos em questão".

Em entrevista à revista Veja, o Sergio Moro afirmou que entregará as provas das acusações que fez, ao STF.

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP), comemorou em sua conta no Twitter a decisão do ministro.  "Nosso pedido foi acatado há pouco pelo ministro do STF Celso de Mello! Pedimos a antecipação do prazo para o depoimento do ex-ministro Sérgio Moro, que inicialmente era de 60 dias, e passou a ser de 5 dias", publicou a congressista.

"A gravidade das acusações dirigidas ao presidente da República, somada à grave crise política pela qual atravessa o país, leva a crer que o prazo de 60 dias para a realização da diligência pode se demonstrar excessivo", diz a ação. "A elasticidade do prazo concedido pode redundar em iminente risco de perecimento das provas", completa a peça.

> Cadastre-se e acesse de graça por 30 dias o melhor conteúdo político premium do país   

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!