STF arquiva segunda investigação contra o ministro Aloysio Nunes em cinco meses

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (23) arquivar o inquérito que investigava o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. Ele era suspeito de receber R$ 500 mil da Odebrecht, por meio de caixa dois, para a campanha ao Senado em 2010. É a segunda denúncia contra o tucano arquivada nos últimos cinco meses – em junho, o decano do STF, Celso de Mello, baixou aos arquivos o processo em que o tucano era acusado em outro caso de caixa dois.

O pedido de arquivamento foi feito pela defesa de Aloysio, que alegou falta de provas para o prosseguimento da investigação. O ministro foi citado por delatores ligados à empreiteira Odebrecht. No fim do ano passado, a investigação foi aberta a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segunda a defesa de Aloysio, as diligências que foram solicitadas pelo Ministério Público (MP) e a Polícia Federal (PF) não conseguiram encontrar provas que confirmassem os depoimentos dos delatores.

O caso começou a ser julgado em agosto, mas foi interrompido duas vezes por pedidos de vista. A decisão de hoje foi tomada por maioria de três votos a dois. Votaram para arquivar o inquérito os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Os votos contrários foram dos ministros Edson Fachin e Celso de Mello.

Com informações da Agência Brasil

 

>> PGR pede arquivamento de inquérito contra Aloysio Nunes

>> Celso de Mello arquiva inquérito contra Aloysio Nunes

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!