Kassio diz que não houve interferência em sua indicação por Bolsonaro

“O que foi do meu conhecimento é que absolutamente ninguém interferiu na decisão do presidente da República para a minha indicação para o Supremo Tribunal Federal”, disse o desembargador Kassio Nunes Marques ao responder pergunta do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR). “O que chega no meu conhecimento é que essa decisão foi própria do presidente”, complementou Kassio.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

O senador havia questionado se a indicação foi conduzida pelas mãos do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e do advogado Frederick Wassef, além do senador Ciro Nogueira (PP-PI), que é do mesmo estado do indicado. “Acho isso absolutamente normal, não estou criticando. É assim mesmo que nós tomamos decisões, ouvindo as pessoas em quem confiamos”, disse ele pedindo esclarecimentos.

“Esse processo político não foi desencadeado agora. Eu já vinha fazendo um trabalho desde 2015”, disse ele ao comentar sobre a vaga no STJ que estava pleiteando quando Bolsonaro decidiu indicá-lo ao STF. “Eu vinha sim fazendo uma apresentação para a República, só que com outro objetivo”, admitiu.

Kassio Nunes foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro no fim de setembro para a vaga do então decano da corte, Celso de Mello, que se aposentou em outubro. O nome do desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) foi recebido com surpresa, inclusive por aliados, mas foi bem aceito por parlamentares do Centrão, e gerou críticas por parte da base bolsonarista, incluindo líderes religiosos e conservadores. Silas Malafaia chegou a entregar uma lista de juristas religiosos que poderiam ocupar a vaga. Outros movimentos cobravam a presença de um conservador no cargo.

A sabatina de Kassio na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) já dura cerca de oito horas. Após escrutínio dos senadores, será divulgado o resultado da votação no colegiado. O nome de Kassio ainda precisa ser votado no Plenário do Senado, o que deve ocorrer ainda hoje. Para ser aprovado, são necessários os votos de 41 dos 81 senadores.

> Senadores divulgam voto contra Kassio no STF: “objeto de negociações políticas”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!