Justiça do Rio determina retirada do ar de reportagens sobre o BTG Pactual

Um juiz do Rio de Janeiro determinou a retirada do ar de reportagens do jornalista e blogueiro Luiz Nassif sobre o BTG Pactual, banco de investimentos que teve entre os fundadores o atual ministro da Economia, Paulo Guedes. O site GGN informou que retirou no último final de semana 11 reportagens exclusivas, publicadas nos últimos meses, sobre negócios envolvendo o banco.

Uma das reportagens afirmava que o BTG comprou por R$ 370 milhões uma carteira de crédito do Banco do Brasil que valia R$ 3 bilhões.

Em sua sentença, o juiz Leonardo Grandmasson Ferreira Chaves, da 32ª Vara Cívil do Rio de Janeiro, afirmou que a imprensa deve ser livre, mas não para “causar danos à imagem de quem quer que seja”. Ele justificou que o site “transbordou os limites da liberdade de expressão”.

A decisão apontou, ainda, que a remoção do conteúdo ocorreu devido à possibilidade de prejuízo financeiro aos acionistas do banco. O GGN afirmou que irá recorrer.

A decisão judicial foi questionada por uma série de autoridades, dentre as quais está o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, que afirmou que o questionamento é “absolutamente legítimo, para não dizer obrigatório”.

A repercussão nas redes sociais foi intensa, e “BTG Pactual” se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira (31).

Live debate mudanças necessárias na tributação sobre a renda, às 17h30

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!