Fachin pede vista e interrompe análise de inquérito contra Aloysio Nunes

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) registrou hoje (7) dois votos a favor do arquivamento do inquérito aberto para investigar o senador licenciado e ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. Após os votos dos ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli a favor do arquivamento, Edson Fachin pediu vista do processo. O julgamento deve ser retomado dia 28 de agosto.

O pedido de arquivamento foi solicitado ao STF pela defesa de Nunes, que alegou falta de provas para o prosseguimento da investigação.

Aloysio foi citado por delatores ligados à empreiteira Odebrecht, e a investigação foi aberta a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), no fim do ano passado. Em um dos depoimentos, o delator Carlos Armando Guedes Paschoal confirmou o pagamento de R$ 500 mil para a campanha de Nunes, em 2010. Segundo outro delator, Benedicto Junior, “esta doação não teria sido contabilizada”.

Ao analisar o pedido de arquivamento, solicitado pela defesa, o relator do caso, ministro Gilmar Mendes, entendeu que, até o momento, as investigações não conseguiram ir além dos depoimentos dos delatores.

“Assim, restou fragilizada a hipótese criminal que orienta a investigação em análise, a qual ressaltou a precariedade dos elementos de corroboração apresentados pelos colaboradores da Odebrecht”, argumentou o ministro.

A defesa de Aloysio também sustentou que as diligências que foram solicitadas pelo Ministério Público e a Polícia Federal não conseguiram encontrar provas que pudessem corroborar as declarações dos delatores.

 

PGR pede arquivamento de inquérito contra Aloysio Nunes

aloysio nunescaixa doiscorrupçãodias toffolidoações de campanhaedson fachinGilmar MendesJudiciárioMinistério das Relações ExterioresOdebrechtPGRprocuradoria-geral da repúblicaSTFsupremo tribunal federal