Ex-Lava Jato relaciona indicação ao STF a acusações contra família Bolsonaro

Não foi apenas entre aliados ideológicos e evangélicos que a escolha de Kassio Nunes para o Supremo Tribunal Federal repercutiu mal. Os lavajatistas também criticaram a indicação de Jair Bolsonaro. Para o ex-procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, a escolha tem relação com os processos que envolvem os filhos de Bolsonaro.

> Flávio Bolsonaro considera inevitável ser denunciado pelo MP, dizem aliados

"A escolha de Bolsonaro objetiva ter tranquilidade familiar com as acusações de peculato dos filhos. Simplesmente isso", escreveu.

Menos direto, Sergio Moro também comentou a escolha.

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi às redes sociais na noite desta quinta-feira para se manifestar ao nome indicado por Bolsonaro à vaga. "Simples assim, se o PR @jairbolsonaro não indicar alguém ao STF comprometido com o combate à corrupção ou com a execução da condenação criminal em segunda instância, todos já saberão a sua verdadeira natureza (muitos já sabem)", escreveu o ministro, sem no entanto indicar sua opinião sobre Kassio Nunes Marques.

O senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), um dos principais defensores da Lava Jato no Congresso Nacional disse estranhar a escolha de Bolsonaro, que optou por indicar um magistrado com histórico garantista. Segundo o senador, essa característica indica que Kassio Nunes não é favorável à prisão em segunda instância, uma das pautas políticas da Lava Jato.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!