Ex-depoentes da CPI vão ao Supremo contra quebra de sigilo

O ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, a secretária do Ministério da Saúde Mayra Pinheiro, o ex-secretário da pasta Helio Angotti, e o ex-assessor especial Zoser Hardman de Araújo ingressaram no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a quebra de sigilo determinada pela CPI da Covid no Senado.

Esta semana, a comissão aprovou 23 novos requerimentos. Além dos ex-depoentes, são alvos de pedido de quebra de sigilo pela CPI o assessor internacional da Presidência da República, Filipe Martins, o empresário Carlos Wizard e o virologista Paolo Zanotto.

O colegiado também pediu a quebra de sigilos bancários, fiscais e telefônicos de empresas de publicidade responsáveis pelas campanhas institucionais do governo desde 2020.

A relatoria do caso ficou com o ministro Alexandre de Moraes. No despacho, Moraes deu 48 horas para a CPI prestar informações sobre os pedidos questionados.

> CPI aprova quebra de sigilos de integrantes do “gabinete paralelo”

> Cientistas vêem perigo e “ignorância” em declarações de Bolsonaro

Continuar lendo