Associação de juízes sai em defesa de Barroso após crítica de Bolsonaro

A Associação de Juízes Federais (Ajufe) criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro sobre a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, pela abertura da CPI da Covid no Senado. O presidente acusou o ministro de fazer "politicalha". "Falta coragem moral para Barroso e sobra ativismo judicial", afirmou.

Em nota, a Ajufe saiu em defesa do magistrado. "A decisão judicial criticada apenas atende, em caráter liminar, ao requerimento em mandado de segurança apresentado por senadores da República ao STF", escreveu a associação em comunicado. "A postura do Presidente da República é, portanto, absolutamente incompatível com a independência judicial e com o respeito que deve sempre existir entre os representantes dos Poderes de Estado."

A decisão de Barroso, tomada na quinta-feira (8) à noite será cumprida já a partir da próxima semana, indicou o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). A Ajufe conclui seu comunicado defendendo que as ações que o Poder Executivo geram "transtornos" em um momento onde se espera cooperação máxima, "agravando a crise que o Brasil e o mundo atravessam e dificultando, com isso, o retorno ao estado de normalidade".


> Vice-líder do governo no Senado prepara ofensiva contra Barroso
> CPI da Covid: quem são os senadores que querem investigar o governo

Continuar lendo