Veto a benefícios a igrejas coloca Bolsonaro em atrito com 20% do Congresso

O veto parcial de Jair Bolsonaro ao projeto de lei que isentava igrejas do pagamento de dívidas com a União pode gerar uma indisposição entre o presidente e a bancada evangélica, que hoje representa cerca de 20% de todo o Congresso Nacional. O grupo conta atualmente com 105 deputados e 15 senadores. 

O conteúdo deste texto foi publicado antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

> Dez igrejas devem R$ 382 milhões à União, segundo a Fazenda Nacional

Um dos principais representantes da bancada, o deputado Lincoln Portela (PL-MG), defende que o veto ao texto é inconstitucional e terá dificuldade em passar pelo Congresso. “Quem contribui com as igrejas, já contribuiu com o Estado”, diz Portela.

Veja abaixo a lista dos deputados e senadores que integram a bancada evangélica

* Apesar de integra a lista acima e participar dos cultos da bancada evangélica, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) não costuma votar com a bancada.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!