Veja quem não apoiou, mas comemorou os atos pró-Bolsonaro

A deputada estadual pelo PSL em São Paulo Janaina Paschoal comemorou em suas redes sociais o resultado das manifestações em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro, que ocorreram em diversas cidades do país neste domingo (26). Entre outras postagens em seu Twitter, Janaina comentou que “a sabedoria popular corrigiu os excessos”.

Durante a semana passada, a deputada havia se posicionado de forma crítica à convocação dos atos em favor do presidente da República, seu colega de partido. “Quero esclarecer que não sou contrária a manifestações, até por se tratar de uma garantia constitucional. Mas muito me preocupa o clima que se instala na nação”, escreveu a parlamentar na quinta-feira (23). Neste domingo, no entanto, teve elogio até para a imprensa.

Líder nacional e porta-voz do movimento Vem Pra Rua, Adelaide de Oliveira, classificou o dia de protestos como histórico. “Acho que hoje é um dia histórico, a primeira manifestação a favor, com pautas propositivas, isso é para se comemorar, não é um problema, isso é um amadurecimento democrático. Antigamente na época do PT se ia para rua se manifestar contra alguma coisa de forma violenta”, afirmou ao Congresso em Foco. “O mesmo brasileiro que sabe criticar também sabe dar apoio”, completou.

O Vem pra Rua não mobilizou seu militantes para participarem dos atos deste domingo. O grupo alegou que é suprapartidário e não defende governos e que tinha receio com o caráter personalístico da mobilização, focada na figura de Bolsonaro e sua família. Adelaide não teme que o Vem pra Rua perca espaço ao ficar de fora. “Nosso raciocínio não é de perder espaço ou não, é de coerência. O Vem Pra Rua trabalha muito pelas suas convicções e tem coerência neste discurso, seríamos aproveitadores se nós tivéssemos ido porque a manifestação ia ser boa, nós vamos a uma manifestação, seja ela promissora ou não, se nós nos alinharmos com a pauta”, argumentou a líder nacional do VPR.

O Movimento Brasil Livre, um dos primeiros a apoiar Bolsonaro, e o Partido Novo, que tem votado com o governo na Câmara, também não se engajaram na mobilização pró-Bolsonaro e mantiveram silêncio em suas redes sociais.

>> Janaina Paschoal questiona sanidade mental de Bolsonaro antes de deixar grupo de WhatsApp do PSL

Centrão

Quem também se manifestou, mas sem comemorar, foi o líder do Democratas na Câmara, Elmar Nascimento. O partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, integra o grupo chamado Centrão, que conta ainda com PP, PR, PRB e Solidariedade. O Centrão foi um dos alvos favoritos de críticas dos manifestantes neste domingo. Por meio de nota, o deputado comentou que a pauta levada para as ruas mostra que o Congresso é fundamental.

“Como defensor da democracia, das opiniões divergentes e do diálogo, respeito os manifestantes que saíram às ruas neste domingo. Ressalto que a maioria deles manifestou-se a favor da reforma da Previdência e do pacote anticrime, ambos em tramitação no Legislativo. Desta forma, a Câmara e o Senado são fundamentais no processo de aprovação das duas pautas. O STF também é pilar da democracia e, tenho certeza, contribuirá para o fortalecimento das instituições. Ninguém governa sozinho”, diz a nota.

>> Maia liderou acordo que viabilizou aprovar MP 870 para não inflar manifestações de domingo

>> Manifestação é recado para os que teimam por velhas práticas, diz Bolsonaro

 

Jair Bolsonarojanaina paschoalmanifestaçõesMovimento Vem Pra Rua