Senador flagrado com dinheiro nas nádegas renuncia à vice-liderança do governo

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pediu nesta quinta-feira (15) para sair do posto de vice-líder do governo. A informação foi confirmada pelo Congresso em Foco  com a assessoria do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

A saída de Chico Rodrigues foi oficializada em edição extra do Diário Oficial da União desta quinta (íntegra). A informação foi antecipada pelo Congresso em Foco.

O senador foi flagrado com dinheiro na cueca durante a Operação Desvid-19, que apura desvios de recursos da saúde em Roraima.

A residência do senador em Boa Vista foi um dos alvos da operação da Polícia Federal. Ao cumprir os mandados de busca e apreensão, os investigadores encontraram R$ 30 mil em dinheiro vivo na casa do senador. Parte do montante estava escondida entre as nádegas do congressista.

Rodrigues era um dos três vice-líderes do governo Bolsonaro no Senado. Em nota (veja a íntegra abaixo), o senador afirmou que vai provar que não teve relação com qualquer ato ilícito. “Tive meu lar invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à covid-19 na saúde do estado”, escreveu.

O congressista emprega em seu gabinete, desde 2019, um sobrinho do presidente Jair Bolsonaro: Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio. Como comissionado do gabinete de Chico Rodrigues, Léo Índio recebe salário de R$ 22,9 mil mensais.

Veja a íntegra da nota do senador:

"Acredito na justiça dos homens e na Justiça Divina. Por este motivo, estou tranquilo com o fato ocorrido hoje em minha residência em Boa Vista, capital de Roraima. A Polícia Federal cumpriu sua parte em fazer buscas em uma investigação na qual meu nome foi citado. No entanto, tive meu lar invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à COVID-19 na saúde do estado.

Tenho um passado limpo e uma vida decente. Nunca me envolvi em escândalos de nenhum porte. Se houve processos contra minha pessoa no passado, foram provados na justiça que sou inocente. Na vida pública é assim, e, ao logo dos meus 30 anos dentro da política, conheci muita gente mal intencionada com o intuito de macular minha imagem, ainda mais em um período eleitoral conturbado, como está sendo o pleito em nossa capital.

Digo a quem me conhece: fique tranquilo. Confio na justiça e vou provar que não tenho nem tive nada a ver com qualquer ato ilícito. Não sou executivo, portanto não sou ordenador de despesas e, como legislativo, sigo fazendo minha parte, trazendo recursos para que Roraima se desenvolva. Que a justiça seja feita e que, se houver algum culpado, que seja punido nos rigores da lei.

Chico Rodrigues
Senador"

PF encontra dinheiro na cueca de vice-líder do governo no Senado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!