Sem tradicional desfile, 7 de setembro será celebrado em evento no Alvorada

O tradicional desfile na Esplanada dos Ministérios alusivo ao Dia da Independência não será realizado este ano em razão da pandemia de covid-19. No lugar dele, um evento menor na manhã desta segunda-feira (7) tomará lugar na residência oficial do presidente Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada. Haverá hasteamento da bandeira no Pavilhão Nacional do Palácio às 10h e apresentação da Esquadrilha da Fumaça por cerca de 10 minutos.

A solenidade é restrita às autoridades convidadas e imprensa. Entre os convidados, estão os presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), além de ministros de Estado e chefes das Forças Armadas. O evento será transmitido ao vivo pela TV Brasil, que terá uma programação especial das 9h às 11h.

Pelo segundo ano consecutivo, o presidente da Câmara não deverá participar da cerimônia. Maia, que está no Rio de Janeiro desde a última sexta (4), só deverá regressar a Brasília no fim do dia, segundo sua assessoria. Rompido com o ministro da Economia, Paulo Guedes, Maia tem feito aproximações apenas com os ministros da articulação política, como Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral).

À noite, às 20h, um pronunciamento do presidente será veiculado em cadeia nacional de rádio e TV. Segundo publicação no Facebook de Bolsonaro, o pronunciamento foi gravado neste domingo (6).

Defesa cancelou desfile

Há um mês, o Ministério da Defesa publicou uma portaria determinando o cancelamento do desfile de 7 de setembro (veja a íntegra). “Como é de amplo conhecimento, o País, como considerável parte do mundo, enfrenta a pandemia do “COVID-19”, não sendo recomendável pelas autoridades sanitárias a promoção de eventos que possam gerar aglomerações de público, devido ao risco de contaminação”, justificou a pasta.

O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, determinou aos comandantes da Marinha, do Exército e da Força Aérea que orientem suas respectivas Forças para se absterem de participar de quaisquer eventos comemorativos alusivos ao evento, como desfiles, paradas, demonstrações ou outras que possam causar concentração de pessoas.

FHC faz mea culpa e admite que reeleição “foi um erro”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!