Bancada do Psol pede afastamento imediato de assessor de Bolsonaro

A bancada do Psol na Câmara pediu nesta quinta-feira (25) o afastamento imediato de Filipe Martins do cargo de assessor de assuntos internacionais do presidente Jair Bolsonaro. O pedido está em ofício enviado à Casa Civil após o assessor fazer gesto adotado por grupos supremacistas brancos.

A atitude foi flagrada nesta quarta-feira (24) pela TV Senado em transmissão de sessão temática com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o qual Martins acompanhava.

"O endosso público ao supremacismo branco contradiz os princípios de nossa Constituição Federal e é tipificado como crime nos termos do art. 20 da Lei 7716 de 1989. Em se tratando de um assessor para assuntos internacionais da Presidência da República, tais atos causam, ainda, profundo constrangimento internacional para o Brasil e configuram desrespeito inaceitável a milhões de vítimas do racismo em nosso país e em todo o mundo", afirmam os parlamentares.

Leia a íntegra do ofício:

Nesta quarta, ao fim da sessão, o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), anunciou que determinará a investigação da conduta de Filipe Martins.

À Casa Civil, a bancada do Psol cita que, lamentavelmente, não é a primeira vez que o assessor de Bolsonaro faz "alusões públicas ao repugnante, perigoso e ilegal supremacismo branco".

Veja o momento em que o assessor gesticula:

"Desde abril de 2019, o assessor especial da Presidência utiliza, como foto de fundo de sua conta no Twitter, uma imagem com trecho do poema que abre o manifesto do supremacista branco Brenton Tarrant, que em março do mesmo ano, assassinou 51 pessoas em uma mesquita na na Nova Zelândia. Durante seu julgamento, Tarrant fez o mesmo gesto ora performado por Sr. Filipe Martins", diz o ofício.

> Entenda o gesto feito por assessor de Bolsonaro e sua relação com o racismo

"Ressalta-se que Urge, portanto, que a Casa Civil forneça explicações a este Parlamento e a toda a sociedade brasileira sobre os atos do Sr. Filipe Martins, elucidando qual é o posicionamento oficial do governo brasileiro sobre as inaceitáveis alusões ao supremacismo branco empreendidas pelo assessor. No mesmo sentido, solicitamos a Vossa Excelência o imediato afastamento do Sr. Filipe Martins de suas funções, assim como a abertura do devido procedimento administrativo sobre sua conduta", completam.

 

Continuar lendo