PSL notifica a suspensão de 19 deputados bolsonaristas

A executiva nacional do PSL elevou para 19 o número de deputados suspensos por conta da briga que dividiu o partido entre bivaristas e bolsonaristas, como o Congresso em Foco adiantou em primeira mão ontem. Aliado de Luciano Bivar, o deputado Júnior Bozzella (PSL-SP) revelou que os 19 deputados foram suspensos por terem sido infiéis ao partido. Eles já foram notificados da decisão na última segunda-feira (21) e devem se manifestar sobre o assunto até esta terça (22).

A troca dos comandos dos diretórios de São Paulo e Rio de Janeiro ainda não foram definidas. Porém, a  cúpula  decidiu pela adoção de compliance (conjunto de medidas para aperfeiçoar normas internas) na Executiva, e nos níveis estadual e municipal.

Em entrevista para a imprensa,Major Olimpio (PSL-SP) explicou que após o prazo de cinco dias úteis, a comissão deve elaborar um parecer e apresentar ao diretório nacional. "O que temos são 19 processos abertos", disse.

Ao todo, 23 membros do PSL participaram do encontro que não contou com nenhum parlamentar da ala bolsonarista.

"Foram notificados 19 deputados. São os deputados que de alguma forma se manifestaram contrariamente ao partido", contou Júnior Bozzella, alegando que a nova lista de suspensos não tem relação com a briga que foi deflagrada nos últimos dias em torno da liderança do PSL na Câmara. "A lista a favor de Eduardo tinha mais gente. Foi notificado quem agrediu o partido", destacou Bozzella, dizendo que entre esses 19 notificados já estão os cinco deputados que foram suspensos desde a semana passada. São os deputados Carla Zambelli (SP), Alê Silva (MG), Filipe Barros (PR), Carlos Jordy (RJ) e Bibo Nunes (RS), que foram suspensos na semana passada pelo então líder Delegado Waldir e nesta segunda-feira tiveram a punição anulada pelo novo líder do PSL na Câmara, Eduardo Bolsonaro.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!