Preterido, Brasil recua de candidatura própria e apoia EUA no comando do BID

Os ministérios da Economia e das Relações Exteriores divulgaram nesta quarta-feira (17) uma nota conjunta na qual apoiam a iniciativa dos Estados Unidos de se candidatar ao comando do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

“O Brasil e os Estados Unidos compartilham valores fundamentais, como a defesa da democracia, a liberdade econômica e o Estado de Direito. O Brasil defende uma nova gestão do BID condizente com esses valores e com o objetivo maior de promoção do desenvolvimento e da prosperidade na região”, diz trecho da nota.

>Trump diz que se tivesse seguido Brasil teria 2 milhões de mortes por covid-19

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, inicialmente o governo brasileiro tinha a intenção de indicar Rodrigo Xavier, empresário brasileiro e ex-presidente do UBS, para o comando do BID.

Tradicionalmente a presidência do banco internacional é exercida por um país latino-americano. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou oficialmente nesta semana que vai apoiar Mauricio Claver-Carone para o posto. De acordo com a agência internacional de notícias Bloomberg, Claver-Carone é cubano-americano, ex-apresentador de talk-show e ex-diretor-executivo nos Estados Unidos do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Leia a íntegra da nota:

"O governo brasileiro recebeu positivamente o anúncio do firme comprometimento do governo dos Estados Unidos com o futuro do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) por meio da candidatura norte-americana à presidência da instituição.

O Brasil e os Estados Unidos compartilham valores fundamentais, como a defesa da democracia, a liberdade econômica e o Estado de Direito.

O Brasil defende uma nova gestão do BID condizente com esses valores e com o objetivo maior de promoção do desenvolvimento e da prosperidade na região."

As últimas notícias da pandemia de covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!