Por mensagem, Bolsonaro pressionou demissão de Moro

Um relatório entregue à Polícia Federal nesta terça-feira (2) revela troca de mensagens entre Jair Bolsonaro e o ex-ministro Sergio Moro, quando ainda estava à frente da pasta da Justiça. As conversas compreendem o período entre 12 e 23 de abril.

De acordo com matéria do UOL, no dia 12 de abril, o presidente encaminhou ao então ministro uma  reportagem do jornal Valor Econômico, onde Moro apontava que a polícia poderia impor coercitivamente medidas de isolamento social e quarentena na crise da covid-19.

> Celso de Mello libera vídeo de reunião ministerial; leia a íntegra da transcrição

Bolsonaro reagiu às declarações dizendo que se a matéria fosse verdadeira, "todos os ministros, caso queira [sic] contrariar o PR [presidente da República], pode fazê-lo, mas tenha dignidade para se demitir. Aberto para a imprensa”. Moro respondeu que "o que existe é o artigo 268 do CP [Código Penal]. Não falei com a imprensa".

O documento aponta ainda que o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, foi exonerado do cargo a partir de determinação de Bolsonaro. "Em relação às conversas entre o ex-ministro Sergio Moro e o Exmo. sr. presidente da República Jair Bolsonaro, observa-se que a determinação emanada por este último no dia 22/04/2020 àquele se concretizou, tendo o Delegado de Polícia Federal Maurício Valeixo sido exonerado do cargo de Diretor-Geral da PF."

O relatório também analisou as mensagens trocadas entre Moro e a deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

> Os principais momentos da reunião de Bolsonaro com seus ministros

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!