PCdoB entra com ação contra Bolsonaro por declarações em visita ao Maranhão

O deputado Márcio Jerry, vice-líder do PCdoB na Câmara, apresentou uma representação por prática de improbidade administrativa contra Jair Bolsonaro, após visita do presidente ao estado. O documento foi protocolado eletronicamente na manhã desta sexta-feira (30) no Ministério Público Federal (MPF) no Maranhão.

Segundo Jerry, que preside o PCdoB Maranhão, Bolsonaro utilizou recursos públicos para atender interesses particulares de cunho político-eleitoral, infringindo a Constituição e a lei de improbidade administrativa.

Veja a íntegra da representação.

Em evento à tarde, sob gritos de “Fora, Flávio Dino” da plateia, Bolsonaro fez discurso inflado falando em erradicação do comunismo e o relacionando a regimes ditatoriais. “Se Deus quiser, brevemente estaremos [aqui] para comemorar a erradicação do comunismo no nosso Brasil.” Bolsonaro também criticou a gestão do estado e disse que “a nossa bandeira jamais será turvada de vermelho”, referindo-se às cores dos partidos de esquerda.

Mais cedo, em uma parada não programada, Bolsonaro provocou aglomerações e, sem máscara, fez piada homofóbica ao tomar um guaraná Jesus, refrigerante cor-de-rosa de uma marca tradicional da região. “Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?”, disse o presidente entre risos. “Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense”, completou.

Na transmissão feita pelas redes sociais às quintas-feiras, Bolsonaro ensaiou um pedido de desculpas pelo comentário. “Pessoal, fiz uma brincadeira. Se alguém se ofendeu, me desculpa aí, tá certo? O Guaraná Jesus, devido à cor dela, cor-de-rosa...”, disse, enquanto bebia o refrigerante.

Bolsonaro critica liderança de Manuela D’Ávila em Porto Alegre: “fim da picada”

Para Jerry, a visita do presidente serviu para agredir a população local e dar mostras da homofobia de Bolsonaro. “Visita que serviu para agredir maranhenses e exalar sua deplorável e repugnante homofobia. Ao zombar do Guaraná Jesus, patrimônio do Maranhão, Bolsonaro zomba dos maranhenses. Um estúpido, nosso repúdio”, escreveu Márcio Jerry em seus perfis nas redes sociais.

Ontem (29), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), havia adiantado que o partido iria processar Jair Bolsonaro por usar dinheiro público para fazer propaganda política em período eleitoral. “Bolsonaro veio ao Maranhão com sua habitual falta de educação e decoro. Fez piada sem graça com uma de nossas tradicionais marcas empresariais: o guaraná Jesus. E o mais grave: usou dinheiro público para propaganda politica. Será processado”, escreveu ele no Twitter.

Contrariando o protocolo, pelo qual os governadores são convidados a participar de atos do presidente da República na região, Bolsonaro não chamou Dino para acompanhar a inauguração de obras do governo federal no Maranhão. Foram cumpridas agendas nas cidades de São Luís e Imperatriz. Dino é visto como um dos principais nomes a despontar na corrida à Presidência em 2022.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!