Onyx diz que fica no governo e espera novas atribuições para a Casa Civil

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), disse a aliados que vai continuar no ministério que ocupa. A Casa Civil perdeu importantes atribuições nos últimos meses com a perda da articulação política, do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) e da Subchefia para Assuntos Jurídicos (SAJ).

A expectativa do gaúcho é que o ministério receba mais funções. No último sábado (1º), Onyx reuniu-se com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada. O ministro vai representar o governo nesta segunda-feira (3) na abertura dos trabalhos legislativos no Congresso Nacional.

O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), conversou com Onyx.“Ele disse que fica, seu desejo é contribuir com o governo e com o Brasil e que receberá outras atribuições. Afirmou que a Casa Civil terá novas missões a cumprir em 2020. Não me adiantou quais”, afirmou o líder ao Congresso em Foco.

> Questionado sobre Onyx, Bolsonaro diz que esteve com ele e encerra coletiva

"Sou o filtro do presidente", diz Onyx

O ministro deu entrevista nesta segunda-feira à rádio Gaúcha e negou que se sinta desprestigiado com as sucessivas retiradas de atribuições de sua pasta

"A função da Casa Civil é de proteção absoluta do presidente, muitas vezes o trabalho de proteção do governo faz com que quem tenha que dizer não sou eu. Então é natural isso, você sabe que aqui em Brasília as pessoas não gostam de ser contrariadas, teve governo que só disse sim e acabou no petrolão e no mensalão. Aqui é um governo que diz mais não do que sim".

Para falar sobre a importância de seu ministério, Onyx se classificou como "escudo" e "filtro" de Bolsonaro. O gaúcho ressaltou o papel de coordenação que a Casa Civil tem sobre os outros ministérios.

"Então é claro que em muitas circunstâncias, alguma ação que pode até num primeiro momento parecer ótima ideia mas que tem reflexos na ação de outras pastas o presidente precisa de um tempo para pensar, pode não ser o melhor momento político para apresentação daquela proposta, quem faz esse filtro? Quem é que diz não como escudo do presidente? Sou eu."

Além de falar que vai permanecer na Casa Civil, Onyx negou que Bolsonaro vai fazer uma reforma ministerial. O ministro da Educação, Abraham Weintraub,  é um dos nomes na Esplanada que causa insatisfação no Congresso Nacional.

"O ministro de Educação não será substituído por conta linha ideológica forte dele. Nós somos um governo de direita, nós somos um governo conservador e temos orgulho disso", disse Onyx.

As informações deste texto foram publicadas antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.

> Deputados sugerem que Onyx deixe a Casa Civil

> Bolsonaro tenta reduzir poder do DEM ao esvaziar pasta de Onyx

> Bolsonaro tira poder de Onyx e transfere articulação política para general

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!